sexta-feira, 6 de março de 2009

Na cama com Rubinho

O quarto e último post sobre Música Terrorista vem mostrar a vingança. Sim, quando ainda existe o sexo após o coito interrompido. Aquela coisa vulgar que uns adoram e outros vão ao psicólogo por isso.

Mas sexo é algo interessante. A maioria das pessoas diz que é a melhor coisa da vida... mas a maioria das pessoas também tem problemas emotivos, morais e irracionais na hora de fazê-lo. Alguém está mentindo. Que minta. Eu não gosto muito de chocolate mesmo...

Música Terrorista IV
Sempre que você aparece na minha cama
eu entendo, meu bem
É facil demais encontrar o que a gente
já conhece tão bem

Mas algo sempre muda
Aquilo tudo agora é só um detalhe
O seu amor pra mim,
me desculpe, mas agora não vale
Eu sinto muito, mas hoje eu só quero
SEXO

Depois a gente acorda enroladinhos entre dois travesseiros
O sol vem da janela para despertar o primeiro beijo

Mas eu não aguento
A vontade é de cuspir na tua cara
O ódio me corrompe
Eu não tenho mais sangue de barata
Te jogo no esgoto eu só quero que você
MORRA

6 comentários:

  1. "Morram todos", diria Marianinha. E eu apoio!

    ResponderExcluir
  2. Rubs...sou daqueles que quando dizem "aparece lá em casa", eu apareço...e cá estou na pseudodelia...na primeira olhada, achei que a ema seria uma chance ao lado feminino dos emos, mas as terroletras estilhaçam qq "niguém me ama, ninguém me quer"...bem,enquanto relutas em sampaular de vêz, vai de cuíca que eu vou de tamborim...nos vemos loguim...

    ResponderExcluir
  3. me-do dessa musica, mas pelo menos é sincera.

    ResponderExcluir
  4. Morram todos!! ctza Pips!!

    rsrsrs

    ResponderExcluir
  5. Rubinho, você escreve bem, viu? Adorei, desejo sorte para o seu blog, sempre virei fazer minha visitinha para uma Skol da hora, babe.
    Destaco, além deste post, o sobre Emas, nussa, nem vou me alongar na questão do movimento estudantil, haja vista que fui delegada da UNE na década de 80, quando o movimento estudantil estava se reestruturando. Eu e um grupo reabrimos o diretório acadêmico, consolidamos o DCE da Universidade em que estudava e, então, acho que posso falar um pouquinho sobre isso, sem ser dona da verdade.
    O que me incomoda mais, naquela época e na de hoje, em termos desses movimentos, é que eles se apoiam em partidos. Sempre fui contra isso. A UNE perdeu toda a liberdade de lutar pelos ideais dos alunos e hoje é uma lambe lambe do Lula, do PT e do PMDB.
    Talvez essa dura realidade nos faça ter nostalgia com 68, mas você está certo, o negócio é bola pra frente.
    Prefiro ser MILEETANTE...
    Sobre o post de hoje, a repressão com a libido da mulher é um horror. A igreja não declarou, recentemente, que nossa conquista maior foi a máquina de lavar e não a pílula? Preciso dizer mais???
    Mas, como você sabe, a minha bolsa é grande, cabe tudo, ahauhauahua Não explica isso pra ninguém, porque será pior.
    Beijos, parabéns, sucesso, luzes azuis, vermelhas, brancas, em breve estarei em Ribeirão para rever vocês.

    ResponderExcluir